A dúvida foi enviada por Max Almeida, produtor de leite em Nova Xavantina, estado do Mato Grosso. Ele informou que possui um gado puxado para Tabapuã, do qual ordenha cerca de quatro litros por cabeça ao dia.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

A dúvida foi enviada por Max Almeida, produtor de leite em Nova Xavantina, estado do Mato Grosso. Ele informou que possui um gado puxado para Tabapuã, do qual ordenha cerca de quatro litros por cabeça ao dia. A pergunta é se o uso de um taurino adaptado, como o Caracu, poderia ajudá-lo a aumentar a produção de leite e a produzir bezerros mais rústicos que possam ser destinados ao corte.

O zootecnista Guilherme Marquez, gerente nacional de produto leite da central Alta Genetics, esclareceu a situação ao criador.

“Na minha opinião, você deve colocar uma raça de leite (sobre as vacas puxadas para o Tabapuã). Nós temos raças que têm uma habilidade maternal, ou seja uma produção de leite um pouco maior para o bezerro, porém não é suficiente para a gente ter um choque de heterose grande, específico para produção leite. O que eu estou lhe falando é que a sua base é Tabapuã, que é uma raça construída com animais mochos ali no interior de São Paulo, e com Zebu, e a gente criou animais de porte alto, animais rústicos, de crescimento, mas focados na produção de carne”, informou Marquez.

“Já o Caracu teve a sua adaptação muito boa no Brasil, a sua formação, e também tem a sua produção de leite. Porém o que acontece? Nós precisamos buscar uma raça específica para leite nesse caso”, sugeriu.

O zootecnista, então, recomendou qual touro pode cruzar com as vacas do plantel do criador mato-grossense. “Eu indicaria para você o touro da raça Girolando ⅝, que também é rústico, porém ele é específico para leite. E você ainda vai manter, junto com esse cruzamento com o Tabapuã, um choque sanguíneo muito interessante para os machos continuarem a produzir carne. Você vai continuar com a produção de animais grandes, pesados e rústicos, mas as fêmeas, aí sim, você vai ter animais de produção de leite e rústicos, visto que o Girolando é formado a partir do Holandês com o Gir Leiteiro, uma raça zebuína. E com outra raça zebuína, que é o caso do Tabapuã, você mantém essa rusticidade”, recomendou.

Max, a raça Girolando pode te ajudar dentro desse processo com a sua base Tabapuã”, concluiu Marquez.

 

Qual é a sua dúvida sobre cruzamento para gado de leite? Envie para o programa no link do Whatsapp do Giro do Boi, pelo número (11) 9 5637 6922 ou ainda pelo e-mail girodoboi@canalrural.com.br.

Veja a resposta completa do especialista no vídeo a seguir:

Foto  ilustrativa: Reprodução / Facebook ABCT

Campanha consumo de leite – A Campanha da 1ª Semana do Leite, prevista para ocorrer na primeira quinzena de novembro, foi o tema central da 18ª Reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Leite e Derivados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), realizada nesta sexta-feira (17).

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER